Recompensas compartilhadas: a oficina de Arduino no Fórum Tupambaé

Já começamos a entregar as recompensas aos benfeitores da nossa campanha! Na quarta-feira, dia 23 de Outubro, foi a vez da entrega da maior recompensa: Oficina de Introdução ao Arduino! Nossa contribuidora abriu mão de receber a recompensa para que outras pessoas recebessem! Nos pediu para ministrarmos a oficina para estudantes da escola Novo Lar, de Viamão, RS, como parte do Fórum de Agroecologia Tupambaé.

Oficina de Arduino ministrada na sala de informática da Escola Novo Lar

Continuar a ler “Recompensas compartilhadas: a oficina de Arduino no Fórum Tupambaé”

Exposição Tecnologias Latino-americanas: liberdade e autonomia na prática

Trazendo o tema de tecnologias livres na América Latina, nessa Sexta-feira dia 9 de Agosto, às 14h, levaremos ao acolhedor Comitê Latino-americano ( Rua Vieira de Castro 133, Porto Alegre) a exposição dos projetos desenvolvidos durante as 3 semanas da Residência Latino-americana de Tecnologias Livres!

Os participantes estarão presentes nesse encontro para expor os projetos e conversar sobre todo o processo de criação, além de levarem projetos próprios e ideias novas! Vamos nos encontrar no dia 9, as 14h, para conversar e celebrar os avanços da Residência Latino-americana de Tecnologias livre!

Vamos nos encontrar para conversar e celebrar os avanços da Residência Latino-americana de Tecnologias livre!

Mais detalhes no evento.

 

Os projetos mostrados serão:

  • Hiperobjetos: e se os objetos funcionassem como hiperlinks? E se cada objeto, cada máquina, tivesse a si associada todo o conhecimento que a envolve? Serão expostos a mini-CNC construída com material reciclado e toda os registros e documentação produzida durante a residência.
“Os hiperobjetos é uma idealização de objeto que conecta os conteúdos acerca do objeto, os dados que produz, as ferramentas, teorias e dados que o produzem, os softwares necessários para o seu funcionamento – bem como para sua manutenção e replicação -, suas licenças, o conhecimento relativo a seu uso e sua fabricação, etc. São objetos ao qual se agregam ações e/ou conjuntos de informação, assim como hiperlinks e hipertextos, que permitem o indivíduo navegar pela informação sobre um conceito, os hiperobjetos são um canal para que o indivíduo navegue pela informação sobre um objeto.
A construção de uma mini-CNC é um esforço no sentido de se apropriar do conhecimento sobre máquinas de fabricação, assim como uma detalhada documentação e a criação de uma identidade visual para a residência e para cada projeto!”

 

  • Incubadora Biofab: uma incubadora para crescimento de micélios de fungos para a fabricação de biomateriais!

“Nuestro proyecto es parte del creciente movimiento global de biofabricación que cruza diseño, arquitectura y biología, y tiene como objetivo construir equipos de código abierto y de bajo costo para el desarrollo de biomateriales. En este caso, el proyecto complementará una investigación en curso centrada en el cultivo de micelio de hongos descomponedores de madera para explorar sus posibilidades como material textil, algo similar a un cuero de hongo. Para esto, es necesario tener una incubadora programable para testear, programar y estandarizar recetas de cultivo y parámetros ambientales controlados (en este caso, la humedad y la temperatura se convierten en los factores clave para el crecimiento de estos organismos). La incubadora hará posible la generación de protocolos (o recetas) para el cultivo de materiales de código abierto, permitiendo su replicación y la evolución de nuevos biotextiles que pueden ser replicables a bajo costo.”

“Lima, la capital del Perú, es una megaciudad con altos índices de contaminación ambiental. Los datos de calidad de aire son de difícil acceso para el ciudadano común. Nuestro objetivo es crear un sistema que permita monitorear la calidad de aire en zonas de alto riesgo de contaminación ambiental, para ello queremos desarrollar dispositivos de monitoreo basado en sensores de bajo costo tales como temperatura, humedad relativa, PM2.5, radiación UV, dirección y velocidad del viento, una vez obtenida la data subirla a un servidor para ser consultada a través de internet por cualquier dispositivo.”

  • Laboratório de ensino de Ciências: a concretização de uma interface web para equipamentos de ensino de física e química para a Facultad de Ciencias Exactas y Naturales de la Universidad Nacional de Cuyo (FCE – Argentina)

“Creemos que en la enseñanza de ciencias básicas (física, química, biología, geología, etc.) el laboratorio es un espacio de generación de conocimiento
en el se aprende jugando, haciendo con el otro, compartiendo visiones y saberes. Sin embargo, el laboratorio ha ido perdiendo lugar en los espacios
de enseñanza. Esto se debe en gran medida a que equipos comerciales para laboratorio son cerrados y por lo tanto imponen estructuras rígidas a las
prácticas, convirtiéndolas en una especie de receta de cocina en la que lo que se busca es reproducir resultados preestablecidos.
Por otro lado, dichos equipos comereciales tienen un costo elevado y por tanto resultan inaccesibles para muchas instituciones.”

  • Micro-aerogerador:  o micro-aerogerador busca desenvolver um sistema de produção de energia eólica em pequena escala, incentivando uma produção de energia descentralizada!

“O projeto Micro Aerogerador de hardware aberto e livre nasceu a partir da necessidade de transformar o cenário atual de combate à crise energética global. Buscamos fazer isto através da liberdade do conhecimento e de ações que incentivam a disseminação e colaboração do desenvolvimento de redes de microgeração distribuída. A energia proveniente de sistemas mini eólicos, tem vantagens em relação as outras fontes renováveis, no que diz respeito a custo benefício e rápido retorno financeiro. O projeto dispensa redes de transmissão, afinal oferece a possibilidade de ser construído próximo do consumidor final. No entanto a maior potencial do projeto é também o que evidencia o seu destaque estratégico na construção de uma ativa comunidade desenvolvedora de tecnologias livres para a microgeração distribuída. ”

Os participantes estarão presentes nesse encontro para conversar sobre todo o processo de criação, além de levarem projetos próprios e ideias novas!

Veja os registros e documentação dos projetos no nosso repositório!

O que é a Residência de Tecnologias Livres?

 

A primeira edição da Residência de Tecnologias Livres está ocorrendo no Centro de Tecnologia da UFRGS, em Porto Alegre, desde o dia 22 de julho até  o dia 09 de agosto! Nela, estão reunidos cientistas, artistas, engenheiros, ativistas e programadores de seis diferentes países da América Latina (Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, Equador e Peru). A residência busca impulsionar soluções criativas e livres para problemas socioambientais e integrar a coletividade latino-americana de tecnologias livres.

A Rede de Tecnologias Livres teve origem nos encontros globais pelo hardware científico aberto, com encontros na Europa, América do Sul e Ásia! Atualmente, conta com o apoio do Programa Ibero-americano de Tecnologias para o Desenvolvimento (CYTED) para realizar 4 encontros anuais em diferentes países ao longo deste e dos próximos anos. O CYTED irá financiar o deslocamento e a estadia dos membros da rede, viabilizando a realização das residências de tecnologias livres para compartilhar conhecimentos e práticas, fortalecer os laços da rede e desenvolver tecnologias livres para a ciência, educação e empreendedorismo.

Recursos Educacionais Abertos (REA) e as Tecnologias Livres

Foi no ano de 2002, em um evento promovido pela UNESCO no MIT (Massachusetts Institute of Technology), que o termo Open Educational Resources (OER) foi definido como sendo aquele recurso de aprendizagem, ensino e pesquisa que esteja em domínio público (digital ou não) para o uso e adaptação por terceiros. Entretanto, apenas em 2006 este termo foi traduzido para o português como Recursos Educacionais Abertos (REA). O termo REA traz consigo um princípio fundamentado pela filosofia do Conhecimento Livre que visa qualificar o modelo educacional atual, possibilitando uma formação mais autônoma e de qualidade para alunos, professores e sociedade em geral. Tal princípio é abraçado pelos intitulados Cinco R’s de abertura de Wiley para os REA: Reter, Reutilizar, Rever, Remixar e Redistribuir. É importante destacarmos que quando se fala e/ou utiliza-se um REA, estamos extrapolando a fronteira do simples uso e ingressando em importantes esferas para a construção do conhecimento como por exemplo a Autonomia, Cidadania, Economia, Ciências Humanas, Ciências Exatas e da Natureza, Cognição e Técnica.

Logo dos Recursos Educacionais Abertos cunhado e promovido pela UNESCO.

Ao longo destes quase 20 anos – desde o cunho do termo – foram criados inúmeros REA mundo afora, beneficiando milhares de pessoas, através de MOOC’s (Massive Open Online Courses). Plataformas como Khan Academy e PhET da Universidade do Colorado (EUA) e a Wikiversidade são exemplos bem-sucedidos de demonstração, tanto das possibilidades quanto das potencialidades de um REA.

Nos últimos anos o termo REA tem sido utilizado em um contexto mais amplo, incluindo também instrumentos científicos e de engenharia. Assim, estudantes das áreas de engenharia e tecnologia tem acesso a instrumentos que podem ser usados, estudados, modificados e distribuídos. Isto tem sido marcado em eventos tais como o 1º Encontro de Hardware Aberto e Livre (e-HAL), que ocorreu em 2016 na cidade de São Paulo, e nos Encontros Latino-Americanos de Tecnologias Livres – TECNOx, que ocorrem desde 2016 em diferentes países.

A 1ª Residência da Rede Latino-americana de Tecnologias Livres chega para fortalecer ainda mais a inserção dos instrumentos científicos abertos nos contextos educacionais nas áreas de física, biotecnologia e engenharias. A rede precisa do seu apoio que este encontro seja um sucesso. Conheça mais sobre esta iniciativa e contribua com a nossa campanha de financiamento coletivo na Benfeitoria.

 

–> Crowdfunding da 1ª Residência de Tecnologias Livres <–

Siga-nos nas redes sociais:

            

Comunidades de Prática, uma nova perspectiva para aprender

Quando pensamos em aprendizagem de pronto nos vem a cabeça a seguinte imagem: uma pessoa em frente a um quadro negro escrevendo e falando sobre determinado assunto, enquanto as outras pessoas ficam sentadas em classes dispostas em fileiras apenas escutando. Entre as duas imagens abaixo existe um intervalo de 100 anos.

Evolução da sala de aula convencional. Fonte: http://blog.monorean.com/en/classrooms-has-not-really-changed-in-the-last-100-years/

De maneira geral ainda supomos que a aprendizagem se baseia em um processo individual, que possui um início e um final, que ocorre separadamente do resto de nossas atividades diárias, que é exclusivamente resultado do ensino e que ocorre em um lugar específico, a escola. Por isso, ainda organizamos aulas que são ministradas em salas como as mostradas nas figuras acima, onde os alunos apenas prestam atenção naquilo que os professor tem a dizer, sem muito espaço para participar.

O Centro de Tecnologia Acadêmica do Instituto de Física da UFRGS adota uma perspectiva diferente, que coloca a aprendizagem no contexto de nossa própria participação no mundo. Por isso o CTA foi escolhido para sediar a primeira edição das Residências Latino-americanas de Tecnologias Livres.

Durante os últimos anos, identificou-se que o CTA está alinhado com a perspectiva apresentada pela Teoria Social de Aprendizagem proposta por Etienne Wenger em 1998. Para Etienne aprendemos à medida que nos filiamos a comunidades e começamos a participar das práticas que esse conjunto de pessoas realiza para levar adiante um empreendimento, uma paixão, um interesse sobre determinado assunto. À medida que participamos dessas práticas fazendo uso de instrumentos, ferramentas e modos de agir próprios desses grupos sociais, aprofundamos nosso conhecimento sobre esses assuntos, em outras palavras, aprendemos.

Como nos sentimos quando atuamos no Centro de Tecnologia Acadêmica do IF/UFRGS

O CTA IF/UFRGS foi identificado como uma Comunidade de Prática que desenvolve Hiperobjetos, projetos baseados nos princípios de tecnologias livres em luz de questões éticas e de direitos humanos.

A 1º Residência da Rede Latino-americana de Tecnologias livres chega para disseminar as práticas do Centro de Tecnologia Acadêmica pelo mundo. Para isso  a rede precisa do seu apoio para ser um sucesso. Conheça mais sobre esta iniciativa e contribua com a nossa campanha de financiamento coletivo na Benfeitoria.

–> Crowdfunding da 1ª Residência de Tecnologias Livres <–

Siga-nos nas redes sociais:

           

Polinizando comunidades com Hiperobjetos

Máquinas que fazem máquinas

A Bancada de Hiperobjetos é composta por i) um conjunto de máquinas de fabricação digital que tem por objetivo a materialização dos hiperobjetos, ii) as ferramentas digitais para desenho e simulação de componentes de seus componentes de hardware e iii) documentação livre [1] dos projetos de hardware e software. O conceito de hiperobjetos foi definido no capítulo 8 da referência [2].

Ilustração dos fundamentos os quais o conceito Hiperobjeto está alicercado

A bancada  é composta por ferramentas livres para desenho e simulações de objetos e máquinas de fabricação personalizada, tais como impressoras 3D, fresadoras e outras máquinas por controle numérico computadorizado (CNC). Esta bancada visa ser para o hardware aberto e livre o que o primeiro editor compilador de programas livres, o GCC (Gnu C Compiler) do projeto GNU [4], significa para o software livre.

Exemplos de elementos da bancada de hiperobjetos:

  • KiCAD para projeto de circuitos eletrônicos [3]
  • Fresadora PCI João-de-barro.

Nós já temos as ferramentas para desenho e simulações de objetos e desenvolvemos e fabricamos uma Fresadora capaz de fabricar placas eletrônicas, como por exemplos um Arduíno.

Fresadora PCI João-de-Barro Pro

Plataforma industrial e educacional para prototipação de placas de circuito impresso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A mesma é capaz de replicar o seu próprio sistema eletrônico, assim como fabricar as placas eletrônicas de todas as outras máquinas da bancada.

Placa Controladora CNC João-de-barro feita na própria fresadora

Precisamos da sua ajuda para desenvolver uma nova máquina para a bancada, tal como uma robusta impressora 3D ou uma router CNC para usinagem de metal. Assim que concluirmos as 3 máquinas teremos a capacidade de autorreplicar elas utilizando as próprias máquinas como base além da compra de materiais.

“Acredito que o projeto da bancada de Hiperobjetos é um dos mais fundamentais de toda a Rede Latino-Americana de Tecnologias Livres, porque o projeto se volta a questões de ética, direitos humanos, como dar o acesso aberto e livre as ferramentas para que as pessoas consigam elas mesmas construir suas realidades e fornece o caminho para a germinação de novos projetos. Assim semeia o solo fértil dos nodos da Rede para que se enraízem neles diversos projetos de tecnologias livres.” – Cristthian

Para mais informações e aprofundamento no assunto confira a Pesquisa em Ferramentas Livres na Wikiversidade e a página do projeto no site do CTA. Conheça mais sobre os objetivos e métodos do projeto em seu ambito maior acessando o conteúdo  “Expected Development-related outcomes and relevance” e construa conosco este importante marco para o amadurecimento das comunidades de Hardware Aberto e Livre.

[1] Se entende documentação livre de acordo com a definição de obras culturais livres;
[2] PEZZI, R.P.. Ciência aberta: dos hipertextos aos hiperobjetos. In: ALBAGLI, S.; MACIEL, M.L.; ABDO, A.H. (Org.). Ciência aberta, questões abertas. Brasília: Ibict; Rio de Janeiro: Unirio, 2015. (O capítulo 8 pode ser obtido aqui e o livro completo está disponível em doi.org/10.18225/978-85-7013-109-6)
[3] http://kicad-pcb.org/

É possível produzir a própria energia?

Você sabia que pagamos mais energia do que usamos?

Precisamos do seu apoio para mudar está realidade!

Conheça a nossa campanha de financiamento coletivo!

O projeto do Micro Aerogerador surgiu ao se identificar no Brasil um grande potencial de microgeração de energia proveniente do vento e o baixo custo para se desenvolver e fabricar um sistema eólico de qualidade.

Com o modelo atual de 1kW nosso projeto visa ser uma alternativa real para contribuir com a economia de gasto de luz e produção limpa de energia mais perto das pessoas. A equipe do projeto, liderado pelo Cristthian Arpino, acredita que trazendo um resultado potencial se abre o caminho para criar mais valor e inovar. O projeto possui inúmeras versões na prancheta, porém antes de mais nada a equipe precisa da ajuda de você para tornar a versão já fabricada de 1kW (imagem abaixo) um produto que possa ser comercializável a um custo mais acessível do que placas solares.

Modelo de 1kW desenvolvido no Centro de Tecnologia Acadêmica

Por se tratar de um projeto “Free and Open Source Hardware”, você pode conferir a documentação completa online e baixar os arquivos necessários para fabricar o seu. O idealizador do projeto comenta:

Acreditamos que ao desenvolver uma turbina eólica como Tecnologia Livre, estamos incentivando mais pessoas a entrarem nesse promissor mercado da microgeração distribuída de energia. No Brasil, o mercado da mini-eólica é gigantesco e tem lugar para todo mundo que nele quiser inovar. Portanto quanto mais pessoas utilizarem nosso projeto como ponto de partida para entrarem para o ramo e começarem seu negócio, melhor para todos, visto que a qualidade de produtos semelhantes desenvolvidos no mercado nacional será cada vez mais aperfeiçoada e a tecnologia eólica avançará mais rapidamente até a vida das pessoas, que poderão cada vez mais comprar um gerador eólico de qualidade e barato, para reduzir seus gastos elétricos e obter autonomia energética em sua casa.

Atualmente é um fato que o preço da energia elétrica esteja muito elevado. E que ainda hoje 1,5 bilhões de pessoas não tem acesso a energia elétrica, ou seja o problema da falta de energia elétrica limpa e barata é massivo. Mas você sabia que pagamos mais energia do que usamos?

Entre o sistema interligado nacional e os sistemas isolados, segundo o Anuário Estatístico de Energia Elétrica 2016 ano base 2015 [1] foram desperdiçados durante a transmissão do local da distante usina até o consumidor final de 20,2% a 64,7% de energia elétrica gerada em 2014. Em 2015 o Brasil desperdiçou 72 bilhões de reais em energia elétrica. Esses perdas são recorrentes e também são pagas pelo cidadão.

Porque cada vez mais geramos energia em usinas distantes do local de consumo final o Brasil tem um dos maiores índices de desperdício de energia do mundo. Nosso projeto está comprometido em trazer a geração de energia até as pessoas.

 

A microprodução de energia mais perto das pessoas Red Bull Basement 2017

Atuamos nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU focando nossos esforços para que os Micro Aerogeradores tenham um papel importante para o inicio da descentralização da geração de energia renovável, e também na evolução das redes de microgeração energética que trarão mais economia e sustentabilidade e menos desperdício para vida das pessoas.

 

[1] Anuário Estatístico de Energia Elétrica 2016 ano base 2015 – EPE (Empresa de Pesquisa Energética) – setembro de 2016, página 68

Desenvolvimento do Relógio CTA – ferramenta de introdução à colaboração

O Relógio CTA é um projeto que surje com o objetivo de resolver um problema prático do Instituto de Física da UFRGS: a necessidade de um relógio para o anfiteatro do instituto.  Foi proposto pela direção do Instituto de Física da UFRGS para, além de mostrar as horas, que corrija seu horário automaticamente. Como é um projeto de relativa baixa complexidade, tem sido utilizado como ferramenta de introdução a eletrônica, programação e  introdução das metodologias de desenvolvimento de tecnologias livres do CTA.  Grande parte dos novos integrantes do CTA passaram por esse projeto, aprendendo a usar programas para desenho de circuitos, modelagem 3D, fabricação digital, entre outros. Mas principalemente aprender sobre trabalho colaborativo, tecnologias livres e documentação aberta.

 

Partes do Relógio do Centro de Tecnologia Acadêmica.

 

Este relógio tem sido  desenvolvido em eventos (Hackatona CTA), progredindo com seu desenvolvimento desde sua concepção, passando pelo projeto, estando atualmente em fase de montagem. Sempre buscando seguir as melhores práticas de desenvolvimentos de projetos livres, com documentação livre e utilizando ferramentas livres, que pode ser conferida no site do projeto. Para saber mais confira a Wiki do Relógio CTA  e o progresso das suas tarefas. Atualmente é necessário completar algumas etapas para a conclusão do projeto, como desenho 3D e fabricação da estrutura de MDF, gerar o G-Code, usinar a placa de controle, fazer a montagem e os testes da programação no Relógio CTA montado. 
Finalizar o relógio CTA será uma das primeiras atividades da Primeira Residência da Rede Latino-americana de Tecnologias Livres. A 1ª Residência da Rede Latino-americana de Tecnologias Livres chega para disseminar métodos de trabalho colaborativos e documentação de projetos de instrumentos científicos e educacionais abertos. A rede precisa do seu apoio que este encontro seja um sucesso. Conheça mais sobre esta iniciativa e contribua com a nossa campanha de financiamento coletivo na Benfeitoria.

–> Crowdfunding da 1ª Residência de Tecnologias Livres <–

Siga-nos nas redes sociais:

            

GOSH – O encontro pelo hardware para ciência aberta

O GOSH (Gathering for Open Science Hardware) é uma comunidade global e diversa que trabalha para fortalecer o compartilhamento de tecnologias científicas abertas. A comunidade acredita que a transformação da sociedade passa por uma transformação na forma como a ciência é feita. Buscando multiplicar os futuros possíveis, sempre em vista uma sociedade mais justa, a comunidade quer uma tecnologia ética, acessível, democrática e empoderadora.

Participam da comunidade engenheiros, professores, artistas, cientistas sociais, ativistas, cientistas, jornalistas, agentes comunitários, todes relacionados, de uma forma ou outra, com hardware científico aberto. As discussões do encontro de 2016, na Suíça, resultaram no Manifesto GOSH, que apresenta os princípios desse movimento, e já foi assinada por mais de 400 pessoas de todo o mundo. Do encontro de 2018, no Chile, foi construído um plano de rota (GOSH roadmap) para impulsionar o hardware aberto e transformá-lo no modo de tecnologia padrão até 2025. Com base no design aberto e colaborativo, e práticas de fabricação mais acessíveis, a rota indica que é preciso tomar conta do controle de qualidade e comprimento dos padrões – principalmente aqueles associados a reprodutibilidade da pesquisa científica -, se aproximando dos aspectos sociais e éticos da prática científica. A busca por licenciemento e documentação adequados, conjuntamente com o apoio de instituições sociais, são também passos essencias desta busca.
No encontro de 2018, ocorrido na China, o grupo expressou a necessidade urgente de fortalecer as redes regionais. Por isso, os encontros de 2019 serão distribuídos: CanadáTanzania e no Brasil – já tem atividades marcadas! Este último ocorrerá em Porto Alegre na residência da Rede Latino-americana de Tecnologias Livres.

A 1ª Residência da Rede Latino-americana de Tecnologias Livres chega para fortalecer este o espírito GOSH de livre circulação de conhecimento científico e tecnológico – em tempo de construir um futuro sustentável. A rede precisa do seu apoio que este encontro seja um sucesso. Conheça mais sobre esta iniciativa e contribua com a nossa campanha de financiamento coletivo na Benfeitoria.

–> Crowdfunding da 1ª Residência de Tecnologias Livres <–

Siga-nos nas redes sociais:

            

Santos Dumont, pioneiro das tecnologias livres

Poucos sabem que Santos Dumont, além de ser um pioneiro da aviação, foi pioneiro das Tecnologias Livres. Estando muito a frente do seu tempo, Dumont antecipou-se em mais de um século iniciativas como a Tesla Motors e da Toyota, que, nos últimos anos, lançaram iniciativas de livre uso de sua propriedade intelectual.

A manchete da “Popular Mechanics” era clara: “Santos Dumont doa patentes do aeroplano ao mundo”

A manchete da “Popular Mechanics” era clara: “Santos Dumont doa patentes do aeroplano ao mundo”. No texto, explicita que “Os direitos de patente da máquina foram tornados públicos por Santos Dumont para encorajar a aviação, e qualquer um pode usar esses planos para construir uma máquina similar”.Fonte: Revista Popular Mechanics, Dezembro de 1909, página 842.

Porém Santos Dumont foi além.  O Especial O Globo –  Santos Dumont, o conquistador dos céus – esclarece ainda que  “O projeto detalhado de sua obra-prima, o Demoiselle nº 20, foi publicado na íntegra na revista “Popular Mechanics”. A fabricante de automóveis francesa Clément-Bayard deu início à indústria aeronáutica com a produção em série de aproximadamente 50 Demoiselles. O projeto se tornou popular nos EUA, com companhias americanas fabricando aviões e peças por muitos anos seguindo o modelo de Santos Dumont.” É o verdadeiro espírito das tecnlogias livres!

A 1ª Residência da Rede Latino-americana de Tecnologias Livres chega para fortalecer este espírito de livre circulação de conhecimento científico e tecnológico em tempo de construir um futuro sustentável. A rede precisa do seu apoio para ser um sucesso. Conheça mais sobre esta iniciativa e contribua com a nossa campanha de financiamento coletivo na Benfeitoria.

–> Crowdfunding da 1ª Residência de Tecnologias Livres <–

Siga-nos nas redes sociais:

           

Página da edição da revista “Popular Mechanics” destacando o projeto da Demoseille de Santos Dumont.